O RISCO DE PASSAR MUITO TEMPO SENTADO !!!

O RISCO DE PASSAR MUITO TEMPO SENTADO !!!

 

Ter um comportamento sedentário é passar muito tempo em atividades onde gastamos pouca energia, atividades em que estamos sentados ou deitados, como ver televisão, ler, estudar, comer, coser, escrever, conduzir, trabalhar num escritório, etc. O que é diferente de se ser pouco ativo, pelo que uma pessoa é pouco ativa quando não cumpre os requisitos mínimos de atividade física, isto é, 150 minutos por semana.

 

A atividade física não se encontra relacionada com o passar muito tempo sentado (+6 horas/dia), pois independentemente do facto de fazermos muita atividade física se passarmos muito tempo em comportamentos sedentários o desenvolvimento de determinadas doenças mantém-se.

 

O comportamento sedentário, mais precisamente passar muito tempo sentado encontra-se fortemente relacionado com o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes, cancro, disfunção cognitiva, redução da esperança média de vida e aumento da taxa de mortalidade.

Estudos demonstraram que passar muito tempo sentado como passar mais de 2 horas sentados a ver televisão aumenta o risco de desenvolvimento de diabetes tipos 2, doenças cardiovasculares e morte por qualquer causa.

Pessoas que passam 6 horas do seu dia a ver televisão possuem uma esperança média de vida inferior em cerca de 4,8 anos, quando comparadas com pessoas que não veem televisão diariamente.
No que toca ao cancro, passar muito tempo neste tipo de atividades leva a um aumento do risco médio de desenvolver cancro colorretal (78%), do endométrio (34%), do ovário (66%) e da próstata (39%).

 

O que fazer para evitar estes riscos?
Fazer interrupções. Como assim fazer interrupções? Fazer interrupções no comportamento sedentário, ou seja, quando estamos há muito tempo sentados fazemos uma pausa neste comportamento para esticar as pernas e espreguiçar-nos um pouco, é o suficiente para evitar estes problemas.

 

Quanto maior o número de interrupções de comportamento sedentário menor o perímetro da cintura, IMC, triglicéridos e pressão arterial, quando comparados com pessoas que não fazem interrupções. O importante é fazer a interrupção, mais importante do que fazer atividade física leve, moderada ou vigorosa.